A Terceira Visão, de T. Lobsang Rampa

terceira_visao

A Terceira Visão” narra as vivências de T. Lobsang Rampa, lama médico acompanhante e porta-voz do XIII Dalai Lama tibetano. Ainda menino, Rampa fora enviado para o Lamastério Chakpori, templo da medicina tibetana, onde iniciou o domínio das faculdades psíquicas e espirituais desenvolvidas pelos lamas. O livro descreve rituais sagrados, a superação dos limites do corpo físico e experiências de projecção astral. Numa cerimónia secreta, também detalhada no livro, Rampa foi submetido a uma cirurgia de abertura da terceira visão, que possibilitou a expansão da sua capacidade psíquica a ponto de permiti-lo enxergar a aura de qualquer pessoa, identificar as suas encarnações passadas e futuras, os seus pensamentos e desejos.

Apreciação

Numa primeira abordagem, este livro pode parecer muito esotérico. Contudo, a forma como T. Lobsang Rampa narra a sua infância e entrada na adolescência no Tibete profundo não pode deixar de nos surpreender e de nos suscitar curiosidade sobre as tradições familiares tibetanas e os rituais de ensinamento para entrada na vida religiosa.

Terça-Feira Lobsang Rampa (o nome próprio do povo tibetano é o do dia da semana em que nasceu) conta na primeira pessoa a entrada num mosteiro tibetano, onde inicia a sua vida religiosa como monge – bastante mais tarde, torna-se o lama médico acompanhante e porta-voz do XIII Dalai Lama. Não só nos contextualiza de forma muito clara e intensa a vida familiar tibetana, como nos dá a conhecer muitas das tradições deste povo pacífico, o que acaba por se revelar muito interessante para quem procura romances com esse intuito. A sua entrada no mosteiro é um pouco brusca, não fosse ele um rapazinho de sete anos que gostaria de continuar a brincar livremente com os seus amigos e a passear com o seu pai. Na verdade, duras são as provas pelas quais Lobsang tem de passar para ser admitido e para se manter um dos “alunos” mais dedicados do mosteiro. À medida que cresce, vai conhecendo cada vez melhor os hábitos e procedimentos médicos deste povo, tornando-se uma referência junto das pessoas que o rodeiam. A determinada altura, dá-se o ponto de viragem na sua vida: é-lhe permitido o acesso à terceira visão. Com uma intervenção médica aparentemente simples, é-lhe aberto um buraco na testa que permitirá que Terça-Feira comece a percepcionar o mundo de uma forma cada vez mais viva e verdadeira.

A escrita é simples e fluida, a narração é muito pessoal e o desenrolar do enredo torna-se viciante, tornando este livro numa fonte de curiosidade junto aos leitores. Por se tratar de uma história verídica, é impossível parar de virar as páginas e de tentar descobrir como a personagem encara a sua nova vida. Contudo, há que acrescentar que a polémica em torno desta história pode ser um factor desmotivante para os interessados. Diz-se mundialmente no mercado literário (tratando-se, porém, de informações não confirmadas), que Lobsang T. Rampa não é a verdadeira identidade do autor e que, na realidade, este se chama Cyril Henry Hoskins, um comum cidadão inglês filho de um canalizador, sendo este livro um romance fictício que tem com base estudos de ocultismo e da cultura tibetana. Mesmo assim, é importante referir que os ensinamentos e descrições narradas por Lobsang Rampa são verídicos, de acordo com profissionais de metafísica.

Na minha opinião, “A Terceira Visão” não deixa de ser, de qualquer forma, um livro a não perder e que merece ser livro e muito bem apreciado. A polémica em torno da obra pode torna-se num bom tema para debate e para deixar os leitores ainda mais curiosos sobre a história de Terça-Feira Lobsang Rampa.

Ficha técnica

Ano: 1968
Encadernação: Capa mole
Edição actual: 35ª edição
Classificação: Romance
ISBN: 9788577010264

About these ads

10 thoughts on “A Terceira Visão, de T. Lobsang Rampa

  1. Pingback: 45 days book challenge – Dia 1 « Folhas de Papel

  2. Li esse livro quando tinha por volta de 23 anos consegui muitas evoluições pretendo reler é sensacional só na~osei onde encontra-lo emprestei e não me devolveram.

  3. Li este livro num só fôlego à procura de respostas sobre “experiências terríveis” vividas por mim. Pretendo reler e se possível voltar às “experiências”, novamente. (Agora, sem nenhum temor!)

  4. Já li o livro há muitos anos, mas tenho-me lembrado muito dele ao longo da vida. Aconselho a ler pois é uma maneira diferente de nos vermos, de sentir e de encarar a vida. Tudo tem uma explicação diferente da que nos habituámos.

  5. Quando eu tinha aproximadamente 7 anos de idade, meu pai (sempre incentivador da leitura e do estudo de matematica extra) me chamou para perto dele e me mostrando dois livros pediu que eu escolhesse um. O primeiro era um livro de poucas paginas e de historia que nem me lembro mais qual era e o segundo era ”A terceira visao”. Eu, como toda criança de 7 anos, detestava estudar, ainda mais ter que estudar alem do que ja me era passado pela escola. Porém, ao ver a capa deste livro o escolhi, nao sei ainda porque, mas algo me fez querer lê-lo.
    Demorei bastante para terminar, pois nao entendia muito bem a historia (principalmente estando nos primeiros anos de alfabetizacao), mas me lembro que ficava imaginando as paisagens tibetanas, os mosteiros e como toda a vida acontecia lá. Cresci sem me esquecer daquelas paginas e com a certeza de que um dia conheceria o Tibete. Li novamente o livro depois de adulta e me apaixonei ainda mais e no proximo ano, realizarei meu sonho de conhecer o esta terra tao incrivel.

  6. Pingback: E livros a ler | Folhas de Papel

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s