O Deus das Moscas, de William Golding

Um avião despenha-se numa ilha deserta e os únicos sobreviventes, um grupo escolar de jovens rapazes, reúnem-se na praia e aguardam que os resgatem. Ao longo do dia habitam uma terra de fantásticos pássaros e mares de um azul profundo, mas pela noite os seus sonhos são assombrados pela imagem de uma fera aterradora. À medida que o delicado sentido de ordem dos rapazes vai aluindo, os seus temores infantis transmutam-se em algo muito mais primitivo e os seus comportamentos começam a assumir uma expressão criminosa e selvagem, mostrando o lado mais negativo da natureza humana.
Primeiro romance de William Golding, O Deus das Moscas é hoje internacionalmente reconhecido como um clássico do século XX, um dos trabalhos mais célebres e lidos da ficção contemporânea.
Sir William Golding foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1983.

Apreciação:

Fantástico. Este livro mostra-nos a essência humana. O medo, a alegria, o incógnito. As crianças adaptam-se a um estilo de vida livre, sem professores, pais, raparigas… Mas a decadência rapidamente os conquista e acabamos por nos dar conta da estupidez humana e da sede de poder que, em crianças, é tão anti-natural. Um livro fantástico com uma adaptação cinematográfica muito bem conseguida, com o mesmo nível de dramatismo e suspense. Recomendo vivamente.

Ficha técnica:

Editor: Vega
Colecção: Escola de Letras
ISBN: 9789726995654
Ano de Edição/ Reimpressão: 2002