Sapatos de Rebuçado, de Joanne Harris

Sapatos de Rebuçado é mais uma viagem ao mundo encantado de Joanne Harris. Um (esperado) regresso a Chocolate. Após ter abandonado a aldeia de Lansquenet-sur-Tannes, cenário de Chocolate, Vianne Rocher procura refúgio e anonimato em Paris, onde, juntamente com as suas filhas Anouk e Rosette, vive uma vida pacífica, talvez até mesmo feliz, por cima da sua pequena loja de chocolates. Não há nada fora de comum que as destaque de todos os outros. A tempestade que caracterizava a sua vida parece ter acalmado… Pelo menos até ao momento em que Zozie de l’Alba, a mulher com sapatos de rebuçado, entra de rajada nas suas vidas e tudo começa a mudar… Mas esta nova amizade não é o que parece ser. Impiedosa, retorcida e sedutora, Zozie de l’Alba tem os seus próprios planos – planos que vão despedaçar o mundo delas. E com tudo o que ama em jogo, Vianne encontra-se perante uma escolha difícil: fugir, tal como fez tantas outras vezes, ou confrontar o seu pior inimigo… Ela própria.

Apreciação

Sapatos de Rebuçado é mais que a continuação do quase mítico romance Chocolate que conquistou milhões de leitores em todo o mundo e alcançou uma adaptação cinematográfica rica em odores, aromas e amores. Sapatos de Rebuçado é uma ligeiríssima mudança na forma como Joanne Harris encara as suas tão amadas personagens Vianne e Anouk. Este livro, ao invés de se concentrar na mãe, no seu mundo e no seu passado, concentra-se nesta minúscula família e na sua convidada Zozie de l’Alba, uma senhora chique de sapatos de rebuçado que entra na vida de Vianne de forma inesperada e lhe muda o rumo dos seus dias.

Por um lado, este livro não é “tão delicioso” quanto o anterior, no que se refere às fantásticas receitas de chocolate de Vianne mas, por outro, e ao contrário de Chocolate, não se concentra no percurso de uma única personagem. A história é narrada na primeira pessoa pelas três personagens principais de forma sincera, aberta e clara, como se de um diário se tratasse. O enredo ganhou uma característica doce, gentil e suave, não apenas porque também Anouk narra os seus dias, mas também porque se sente uma magia permanente no ar, como se se tratasse das cores do arco-íris. Não considero este um livro mais infantil que o anterior. Não. Creio que a história se torna mais envolvente e apelativa, mostrando sentimentos tão humanos quando a vontade de Vianne de endireitar a sua vida, a de Zozie de se afirmar pessoalmente e a de Anouk se encaixar socialmente na escola que frequenta. Tratam-se, ao fim e ao cabo, de histórias verdadeiras num ambiente pleno de pózinhos, magia e símbolos esotéricos. Muitíssimo interessante, recomendo vivamente!

Ficha técnica

Editor: Edições Asa
ISBN: 9789724153186
Ano de Edição/ Reimpressão: 2007
N.º de Páginas: 512
Encadernação: Capa mole
Dimensões: 15,5 x 24 x 3 cm