Gérard Depardieu e a literatura no cinema

Aos 61 anos e com mais de 180 filmes feitos, Gérard Depardieu tem a sua carreira associada à literatura, à qual deve muitos dos seus papéis mais conhecidos. É o caso, entre outros, de Tartufo (1984), segundo Molière, que o actor também realizou, de Jean de Florette (1986) e Manon das Nascentes (idem), de Claude Berri, adaptando Marcel Pagnol, de Sob o Sol de Satã, de Maurice Pialat ( 1987), segundo a obra de Georges Bernanos, de Cyrano de Bergerac, de Jean-Paul Rappeneau (1990), segundo a peça de Edmond Rostand, de Germinal, de novo de Claude Berri (1993), com base no livro de Zola, ou de Hamlet, de Kenneth Branagh (1996), a versão integral para cinema da peça de Shakespeare. Depardieu também já personificou Balzac na televisão, bem como o Jean Valjean dos Miseráveis de Hugo, tendo sido ainda Porthos em O Homem da Máscara de Ferro para Randall Wallace em 1998 e Edmond Dantès na minissérie O Conde de Monte Cristo (1998), segundo Dumas. Quer agora levar ao cinema Os Irmãos Karamazov, de Dostoievski.

Fonte: Diário de Notícias online a 22 de Fevereiro de 2010