Biblioteca da Universidade de Coimbra

Não é preciso sairmos de Portugal para encontrar espaços literários lindíssimos.

A Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra – nome que hoje designa, enquanto extensão da moderna Biblioteca Geral da Universidade, a que foi, até à constituição desta, simplesmente a Casa da Livraria universitária, como durante mais de dois séculos seria conhecida – deve o seu nome ao monarca sob cuja égide se verificou a sua edificação: D. João V, o Rei Magnânimo, como historicamente ficaria conhecido, em legítima consagração da sua extensíssima acção mecenática, em prol da cultura, da ciência e das artes e que nesta biblioteca, justamente, assentaria um dos ângulos do seu programa cultural. Tendo, nas suas origens, a velha imposição estatutária da existência de uma biblioteca pública na Universidade, a sua construção, em pleno palácio universitário, decorreria entre 1717 e 1728 e nela, bem como na sua sumptuosa decoração, colaborariam numerosos artistas, interagindo em rara harmonia, por forma a convertê-la na mais extraordinária biblioteca universitária do mundo, precioso escrínio ornamental onde se conserva um importantíssimo acervo bibliográfico.

Com uma história longa, não isenta de vicissitudes, a Casa da Livraria alcançaria, não obstante, chegar aos nossos dias com o seu esplendor intacto, fascinando sem cessar as centenas de milhar de visitantes que anualmente aí dirigem os seus passos.

Informação retirada daqui.