‘E-books’ cativam crianças para a leitura

Mais de metade das crianças inquiridas afirmaram que leriam um livro, por prazer, se o pudessem fazer num leitor digital.

A expansão dos livros e dos leitores digitais pode levar as crianças a colocar a leitura entre as actividades que gostam de fazer nos seus tempos livros. Esta é uma das conclusões apontadas por um estudo do grupo Scholastic e da empresa de consultoria em pesquisa e marketing Harrison Group.

O inquérito foi realizado junto de mil crianças e dos pais. No caso dos pais, os telemóveis e os computadores portáteis são vistos como os responsáveis pelo decréscimo do tempo dedicado à leitura de livros e de actividades físicas por 40% dos inquiridos.

As repostas dadas pelos mais novos mostram que as novas tecnologias até podem reconciliá-los com a literatura. Mais de metade das crianças (57%) afirmaram que leriam um livro… se fosse no e-reader (leitor digital) e um terço disse que até leria mais se tivesse leitores digitais. O estudo demonstra ainda que pais e filhos têm uma visão bem diferente sobre o conceito de leitura. Enquanto apenas 8% dos pais consideram mensagens de telemóvel como leitura, o valor sobe para 25% entre as crianças.

Estes resultados levaram Francie Alexander, vice-presidente da Scholastic, a defender o importante papel educacional que os e- -books podem ter junto da nova geração. “Se conseguirmos que passem mais tempo a ler por prazer nos e-books, esse tempo adicional prepara-os melhor para a leitura de textos mais complexos com que vão deparar-se ao longo do percurso escolar”, afirmou, citado pela Reuters.

Informação retirada de DN online a 07 de Outubro de 2010.