Sugestão de fim-de-semana

Visitar a rota dos sabores tradicionais em Évora.

Fazer uma surpresa a um amigo.

E ler um livro.

O clube de cinema, de David Gilmour

Quando o seu filho Jesse tinha 15 anos, o crítico de cinema David Gilmour tomou uma decisão que muitos pais e educadores considerariam radical: deixou o filho desistir da escola. Esta decisão, contudo, não teve nada de simples ou fácil. Ao ver o filho debater-se com a falta de motivação e as dificuldades em estudar, concentrar-se e ter notas positivas, David Gilmour percebeu que talvez a escola não fosse o ambiente ideal de aprendizagem para o filho – e que as probabilidades de que ele não acabasse o liceu eram elevadas. Assim, permitiu que deixasse a escola; em contrapartida, exigiu que o filho adquirisse com o pai (um notável crítico de cinema) alguma forma de educação alternativa para a vida, o amor e o crescimento pessoal. A condição para o filho deixar a escola era passar três noites por semana a ver um filme com o pai – aquilo a que chamaram “O Clube de Cinema”. O que se segue é um percurso de aprendizagem e formação invulgar, rico e comovente. Na companhia do pai – e através de filmes que vão desde “Os 400 Golpes”, de François Truffaut, a “Instinto Fatal”, de Paul Verhoeven, de “Crimes e Escapadelas”, de Woody Allen, a “Há Lodo no Cais”, de Elia Kazan – Jesse aprende poderosas lições acerca dos valores humanos e do sentido da vida. E David aprende aquilo de que tantos pais se apercebem demasiado tarde: que cada momento passado com o filho é uma oportunidade de crescimento para ambos.

Ficha técnica

ISBN: 9789727119547
Número de Páginas: 192
Encadernação: CAPA MOLE
Data da primeira Edição: 2011