Novos títulos em português

Os mais recentes romances do norte-americano Philip Roth, do argentino Ricardo Piglia e do francês Michel Houellebecq, bem como obras dos catalães Eduardo Mendoza e Josep Pla, e ainda livros de Umberto Eco e Murakami são algumas das novidades da rentrée de literatura estrangeira.

O destaque das novidades de ficção na Dom Quixote vai para Némesis, o mais recente romance do norte-americano Philip Roth, autor vencedor do Booker 2011 e eterno candidato ao Nobel, que será publicado em novembro.

Némesis é a história de Buck Cantor, o monitor de um recinto de jogos, lançador do dardo e halterofilista de 23 anos, que trava uma guerra pessoal contra a epidemia de poliomielite que atinge alguns dos jovens a seu cargo.

Ao contá-la, Roth conduz os leitores “pelo itinerário meticuloso das emoções que semelhante epidemia pode gerar: o medo, o pânico, a revolta, a incredulidade, o sofrimento e a dor”, indica a editora.

Outros títulos da rentrée da Dom Quixote são, em outubro, O Filho do Desconhecido, de Allan Hollinghurst, nomeado para o Booker 2011, e, já em setembro, A Grande Casa, de Nicole Krauss, e A Bofetada, de Christos Tsiolkas, romance vencedor do Commonwealth Prize e nomeado para o Man Booker Prize que está a ser adaptado para uma série de televisão e cuja história parte precisamente da bofetada que um homem dá a uma criança de três anos durante um encontro de amigos – um ato isolado que irá repercutir-se nas vidas das oito pessoas que dele foram testemunhas.

Na Teorema, sairá em novembro Alvo Nocturno, do argentino Ricardo Piglia, que foi considerado um dos melhores livros de 2010 em Espanha.

Na Objectiva, um dos destaques é O Mapa e o Território, o mais recente romance do “enfant terrible” da literatura francesa, Michel Houellebecq, que lhe valeu no ano passado o prémio Goncourt.

Segue-se, em outubro, Rixa de Gatos, mais um título do catalão Eduardo Mendoza, Prémio Planeta 2010, cuja obra completa está a ser publicada em Portugal pela Sextante.

A Viagem de Autocarro, de Josep Pla – escritor primordial da cultura catalã – é o novo título da coleção de literatura de viagens dirigida pelo jornalista Carlos Vaz Marques, segundo quem este livro “pode ser considerado o paradigma daquilo com que Pla nos faz sorrir a cada passo: ao longo de cem quilómetros de poesia e humor, ele conduz-nos através de uma deliciosa espontaneidade, mas que não exclui as reflexões mais profundas”.

A Ahab propõe, já em setembro, o livro de contos Uma Vasta e Deserta Paisagem, de Kjell Askildsen, uma obra distinguida com o Prémio da Crítica Norueguesa, que apresenta aos leitores, com ironia e humor negro, personagens solitárias que se movem num mundo de sentimentos emudecidos e tensões latentes.

Seguem-se, em outubro, Postais de Inverno, de Ann Beattie, e A Visita do Médico Real, de Per Olov Enquist, considerado um dos melhores autores suecos contemporâneos. Trata-se de um romance que lhe valeu três prémios (August Prize, Independent Foreign Prize e Prix du Meilleur Livre Étranger).

Da Eucleia, chega este mês às livrarias o romance Não Humano, do japonês Osamu Dazai, um best-seller no Japão, com mais de 10 milhões de exemplares vendidos.

Em outubro, esta nova editora publicará Necrópole, um romance do colombiano Santiago Gamboa que foi prémio internacional La Otra Orilla, A Arte de Chorar em Coro, do dinamarquês Erling Jepsen, um romance já adaptado ao cinema, e Quanto mais depressa ando, mais pequena sou, da norueguesa Kjersti Annesdatter Skomvsvold, um romance que lhe valeu o prémio Tarjei Vesaas para primeira obra.

O Clube do Autor publica na rentrée A Livraria, o segundo romance da escritora britânica Penelope Fitzgerald, finalista do Booker Prize, que conta a história de Florence Green, uma viúva que em 1959 investe uma pequena herança que recebeu para abrir uma livraria numa casa com fama de ser assombrada na vila costeira de Hardborough e aí desencadeia “um terramoto” ao colocar à venda o romance Lolita, de Vladimir Nabokov.

A Gradiva publicará, do italiano Umberto Eco, o ensaio Construir o Inimigo, bem como uma nova versão do romance O Nome da Rosa, obra que o celebrizou internacionalmente, e ainda O Haiku das Palavras Perdidas, de Andrés Pascual, e Nagasaqui, de Eric Faye.

Na Casa das Letras, será editado, em novembro, o primeiro de três volumes do mais recente romance de Haruki Murakami, 1Q84, ficando os outros dois para 2012.

A Quetzal propõe, para esta rentrée, Ravelstein, de Saul Bellow, e O Segundo Avião, ensaio de Martin Amis – dois autores cuja obra completa está a publicar, e ainda, em outubro, A Curva do Rio, o romance de estreia do Nobel da Literatura 2001, V.S. Naipaul, com que inicia também a edição da obra do autor.

Informação retirada de Sapo Livros a 02 de Setembro de 2011.