Cinco à quinta

Cinco à quintaQue tipo de leitura prefere? Gosto de ler de tudo um pouco dentro da ficção, no entanto, tenho dois géneros de eleição – a Fantasia e o Romance Contemporâneo. Também aprecio Romance Histórico (na vertente Histórica e Sensual) e um pouco de literatura de terror/suspense. Essencialmente, gosto de uma boa história.

O que procura quando escolhe um livro? O meu processo de escolha é um pouco diferente. Primeiro, olho a capa. Para mim, a capa é um dos aspectos mais importantes e apelativos que me leva a pegar (ou não) num determinado livro. A seguir, olho o nome do autor. Se conhecer ou se já tiver lido algo dele ou dela, então mais ou menos saberei se irei ou não gostar. Depois, leio a sinopse. Uma boa sinopse é indispensável. Nada que conte ou revele demasiado. Tem, claramente, de ter personagens interessantes e um enredo que cative, seja literatura clássica ou contemporânea, o importante é que, de alguma forma, mexa comigo.

O que admira num autor? A sua criatividade e, principalmente, a sua capacidade de matar as personagens. Não gosto de histórias excessivamente românticas ou de fantasias que de fantástico têm pouco. Gosto de ler uma boa obra sem saber, de antemão, que vai acabar bem ou mal. Assim, dou extrema importância ao estilo de escrita do autor e à sua forma de estruturar uma história apelativa.

O que pensa dos hábitos de leitura dos portugueses em geral? Penso que, cada vez mais, ler é um luxo – e digo isto por diversos motivos. Temos programas de televisão que chamam não só a faixa etária mais nova como a adulta, intensas horas de trabalho que não permitem, após chegar-se a cada, despender alguns minutos com um livro, o custo do produto em si (tendo em conta a economia hoje em dia, às vezes é complicado) e, também, o facto de muitos jovens serem obrigados a ler determinadas obras nas escolas roubando assim o interesse por algo mais moderno. Contudo, noto que muitos adolescentes se têm virado para os livros, nomeadamente devido a certos autores e sagas recentemente disponibilizadas no mercado nacional, como é o caso de J. K. Rowling e do seu menino feiticeiro – Harry Potter –, ou de Stephenie Meyer e da sua Saga Luz e Escuridão.

Espero que o hábito de leitura não se perca e embora seja algo que, a meu ver, deveria de ser incentivado desde pequenino, acredito que existirá sempre “aquele grupo de pessoas” que não dispensa um bom livro.

Qual o seu livro preferido? Porquê? Não tenho um livro preferido. Gosto de muitos livros e aprecio bastantes autores, indicar somente um seria impossível, até porque o gostar ou não de um livro, para mim, cinge-se ao meu estado de espírito no momento. Um livro que leia hoje e que adore não quer dizer que amanhã, se o voltar a ler, o continue a adorar.

Participante: Patrícia Pecegueiro, blogger.
Site: Pedacinho literário

Podem ler aqui todas as participações no Cinco à Quinta até ao momento.