Tema a tema – Livro

Tema a temaO tema desta semana não poderia ser mais flagrante: Livros. Histórias que começam e acabam em livros, personagens tão apaixonadas quanto nós por páginas e capítulos, contos misteriosos que despertam a curiosidade e a imaginação de quem os lê, na ficção e na vida real. Hoje, são destacados livros sobre livros.

A Sombra do Vento, de Carlos Ruíz Zafón

“A Sombra do Vento” é um mistério literário passado na Barcelona da primeira metade do século XX, desde os últimos esplendores do Modernismo até às trevas do pós-guerra. Um inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, num crescendo de suspense que se mantém até à última página.

Numa manhã de 1945, um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: O Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona. Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, “A Sombra do Vento” é sobretudo uma trágica história de amor cujo eco se projecta através do tempo.

Prémios: Espanha: Prémio da Fundação José Manuel Lara ao livro Mais Vendido; Prémio dos Leitores do Jornal Lá Vanguardia; Prémio Protagonistas. Estados Unidos da América: Borders Original Voices Award; Gumshoe Award, New York; Public Library Book to Remender; BookSense Book of the Year (Honorable Mention); Barry Award, Joseph-Beth and Davis-Kidd Booksellers Fiction Award; França: Prémio ao Melhor Livro Estrangeiro; Prix do Scribe; Prix Michelet; Prix de Saint Emilion; Holanda: Prémio dos Leitores; Noruega: Bjornson Order al Mérito Literário; Canadá: Prémio dos Livreiros do Canadá / Quebec; Prémio Literário Correntes d’Escritas 2006.

Se Numa Noite de Inverno um Viajante, de Italo Calvino

É um romance sobre o prazer de ler romances; o protagonista é o leitor, que dez vezes começa a ler um livro que, devido a vicissitudes estranhas à sua vontade, não consegue acabar. Tive, pois, que escrever o início de dez romances de autores imaginários, todos eles de alguma forma diferentes de mim e diferentes entre si.

.

.

Regra de Quatro, de Ian Caldwell e Dustin Thomason

Este thriller de grande suspense intelectual conta a história de quatro finalistas da Universidade de Princeton que descobrem alguns dos segredos que poderão ajudar a desvendar o Hypnerotomachia Poliphili, um texto do século XV escrito em várias línguas por um padre romano no ano de 1499. Os estudantes vão compreendendo a mensagem codificada em labirintos linguísticos e matemáticos que estão por detrás de dissertações sobre arte, zoologia, erotismo e fé, capazes de descodificar segredos de obras da época Renascentista. No entanto, ao aperceberem-se da magnitude da descoberta que estão prestes a fazer e que poderá tornar-se no maior achado histórico de sempre, descobrem também que há mais quem conheça o valor do tesouro em questão e que esteja disposto a matar pela sua posse.

Living with books, de Alan Powers

Everyone has books—but most people simply put them on a shelf, neglecting more creative ways to make their treasures an integral part of the interior design. Alan Powers’ witty, elegant guide to showcasing your precious volumes will change all that. Going room to room, from kitchens to hallways, he reveals inspirational ways that books can create character in the home. Stunningly photographed images from around the world display large-scale libraries, as well as such ingenious space-saving devices as enclosed book lofts; shelves cleverly tucked into stairways; and narrow wall-mounted boarding that fits snugly behind a chair. There’s advice on caring for the volumes, technical hints on planning and building bookshelves, and practical, detailed projects. Special double-page features cover such topics as designer solutions and constructing furniture out of books.

A Book of Books, de Aberlardo Morell

A visual tribute to the printed word, this sumptuous ode to books will be irresistible to anyone who treasures the feel of fine paper and the special allure of a clothbound volume. “A Book of Books” showcases Abelardo Morell’s extraordinary photographs of unusual books, like an impossibly large dictionary, illustrated tomes whose characters appear to leap off the page, and water-damaged books that take on sculptural form. Bookish quotations by Hawthorne, Borges, Cocteau, and others accompany the photographs throughout.

O incrível rapaz que comia livros, de Olive Jeffers

Prémio de Melhor Livro Infantil 2007, atribuído pelo Irish Book Awards. Esta é a história de um rapaz com um apetite insaciável… por livros. Um dia, assim por acaso, o Henrique descobre esta estranha paixão, que se transforma numa mania constante e deliciosa! E eis a parte melhor: quanto mais livros devora, mais esperto fica. O Henrique sonha tornar-se na pessoa mais esperta do mundo. Até que percebe os malefícios deste hábito peculiar… Um livro tão tentador que já houve quem não resistisse a dar uma dentada na contracapa!

Excerto – A vida de um livro:

Acredito que a vida de um livro enquanto está nas mãos do autor não é mais importante do que quando está nas mãos do leitor. O leitor é quase sempre um autor ele próprio. É ele que dá significado às palavras e por isso até acho muito interessante quando as pessoas me vêm apontar coisas que não eram minha intenção, mas que de facto estão lá. E há muitas outras coisas que foram minhas intenções e que nunca ninguém me referiu, e no entanto também lá estão. Se calhar alguém reparou nelas ou ainda vai reparar. Tudo o que um leitor leia num livro é legítimo porque nessa fase o leitor é tudo, é ele que faz o livro.

José Luís Peixoto, in ‘Diário de Notícias (2003)’