Tema a tema – Natal

A contagem decrescente começou. Os presentes estão escondidos. A árvore está iluminada. A ementa está pronta. A família está convidada. A magia anda no ar. Semana perfeita para mergulhar na leitura em cenários natalícios!

A aventura do bolo de Natal, de Agatha Christie

Uma casa de campo inglesa durante o período natalício, com a crepitação da lareira e a excelente comida, não parece ser o local mais indicado para um crime, mas um bilhete sinistro deixado na almofada de Hercule Poirot diz-lhe que nem tudo é o que parece ser. Há ainda a terrível descoberta de um corpo num local inusitado, uma discussão que acaba numa morte, o estranho caso do morto que alterou os seus hábitos alimentares ou o enigma da vítima que sonhou com o seu próprio suicídio. Uma sucessão de casos que, em comum, têm apenas o mistério e nos quais os poderes de dedução de Hercule Poirot e Miss Marple são a cereja em cima do bolo.

Natal à portuguesa, de Edite Vieira Phillips

O Natal para além do significado religioso envolve a prática de rituais que simbolizam o delicado mundo do sagrado e dos afectos. A cerimónia das refeições é o espaço comunicativo da tradição que regista e comemora a memória dos sabores. De norte a sul de Portugal as receitas descodificam a relação profunda com a terra e os seus costumes.

A autora Edite Vieira Phillips convida-nos com as suas deliciosas receitas a celebrar esta quadra festiva.

Livro do Natal, de Sheherazade Goldsmith

Descubra no “Livro do Natal” ideias maravilhosas para um Natal mais criativo e ecológico. Fuja ao Natal comercial dos tempos modernos e desfrute de uma celebração mais simples e caseira. Decore a árvore de Natal com bolachas de gengibre caseiras, crie uma estrela de Natal de folhas secas, faça etiquetas para prendas e postais com tecidos vintage, costure uma meia, coza pães festivos e encha cestos de Natal com alimentos biológicos da sua região.

Contos fantásticos de Natal, de Loy Rolim

De origem bem remota, o fantástico, desde a oralidade à epopeia, deu corpo a lendas e heroicidade aos homens. Autores gregos e latinos redigem narrativas de puro entretenimento muitas vezes fantásticas. Contos Fantásticos de Natal é uma selecção do que de melhor se escreveu através dos séculos evocando o Natal. Loy Rolim procedeu à selecção dos contos mais evocativos desta quadra festiva, propondo aos leitores textos de Dostöiewsky, Dickens, N. Hawthorne, H. C. Andersen, Eça de Queirós, O. Wilde, Selma Lagerlöff – proporcionando assim momentos de fantástica leitura.

A melhor prenda de Natal, de Marta Tê

Os melhores presentes são feitos por nós. Um livro original e inteligente para todos os que gostam de escrever. Qual é a nossa melhor memória de Natal? Conseguimos imaginar o que sentem os membros da nossa família a cada momento da noite? Será que um dia de Natal terrivelmente frio pode transformar-se na noite mais quente do ano?
E o que diria uma estrela a um homem que caminha sozinho no deserto, na noite de 24 de Dezembro?

Estas perguntas procuram a sua resposta. Todos os anos tentamos encontrar o presente perfeito, aquele que marca o Natal de quem o recebe. Mas, muitas vezes, independentemente da oferta, o que fica na memória são as linhas escritas num postal ou numa carta que revela afectos e pensamentos. Este livro destina-se a todas essas palavras por dizer. As emoções e os sentidos vão sendo guiados por originais desafios de escrita, dispostos a conquistar os mais resistentes “escritores” de todas as idades. Um livro para sentir e relembrar o Natal através das palavras.

Os sapatos do Pai Natal, de José Fanha e Sandra Serra

Ninguém sabe os contratempos que um Pai Natal sofre para levar a tempo e horas todas as prendas que as crianças irão receber, mal abrirem um olhito na manhã de cada dia 25 de Dezembro! Eu, que fui Pai Natal durante vários anos, posso garantir-vos que, quando chega Dezembro, todos os Pais Natais andam de um lado para o outro com o coração nas mãos. Eu era apenas «um poeta guloso, comilão e bem-disposto». Mas um dia, o Pai Natal, o verdadeiro, o que vive na Lapónia – pediu-me que o substituísse naquele ano. E na verdade, eu tinha tudo para ser um óptimo Pai Natal: uma barriga redondinha, bochechas vermelhas e barba branca, e, sobretudo, uma enorme vontade de fazer as crianças felizes.

Sugestão – Programas festivos:

Vila Natal Óbidos

Évora com música, teatro e bailado no Natal Clássico 2011

Circo de Natal do Coliseu de Lisboa