Cinco à quinta

Cinco à quintaQue tipo de leitura prefere? Literatura, sem dúvida. E dentro dela, o romance fantástico.

O que procura quando escolhe um livro? Primeira coisa: se a capa não me atrai, é para esquecer, porque se não conheço o autor, ou o sigo religiosamente, preciso de algo que me estimule a olhar duas vezes para o livro. Depois depende um bocadinho do que me está a apetecer ler na altura, mas no geral procuro por uma história com um protagonista que tenha vários desafios pela frente, escolhas difíceis para fazer, mauzões para enfrentar, sítios difíceis aonde ir; e claro, é absolutamente obrigatório que pelo meio disto tudo haja um romance, e que acabe bem. A sério, tem de haver um sujeito amoroso, e uma relação a desabrochar ao longo da história, caso contrário o meu interesse pelo livro dispersa-se.

O que admira num autor? A capacidade de me agarrar à história da primeira à última página, de me conseguir transportar até aos locais e às cenas que descreve, de me fazer desejar estar na pele do herói/heroína, e admiro, principalmente, que me faça sentir o que as personagens estão a sentir.

O que pensa dos hábitos de leitura dos portugueses em geral? Até há uns tempos, mais propriamente antes de ter um blogue literário, de certeza que responderia a esta pergunta de outra maneira, mas desde que convivo com outros bloggers, ou somente com outros leitores portugueses, a ideia que tenho é que, a gente lê. E adoramos fazê-lo. Mas mesmo que não tivesse esta perspectiva vinda da comunidade online de bibliófilos, também não poderia dizer que os portugueses não lêem o que deviam, porque quem como eu vai todos os anos à Feira do Livro tem de se render às evidências: o povo gosta de ler. E mesmo que os preços façam dos livros objectos de luxo, todos os anos testemunho a adesão em massa dos tugas a este evento. Claro está que nós, os aficionados pela leitura, vamos ser sempre uma minoria, mas é como diz o ditado: poucos mas bons.

Qual o seu livro preferido? Porquê? A Filha da Floresta de Juliet Marillier. Sucintamente, porque preenche todos os critérios que enumerei nas respostas 1, 2, e 3 – e com méritos. Muitos méritos. Nunca fui capaz de dar uma justificação longa, ou clara, ao porquê deste livro ser o meu favorito. Faltam-me as palavras. É aquela situação de ser uma coisa boa demais para ser explicada. Este livro precisa mesmo de ser lido para se perceber porque é que é uma pérola entre as pérolas. (Vão lê-lo, JÁ!)

Participante: Jen7waters, blogger
Site: Cuidado com o dálmata

Podem ler aqui todas as participações no Cinco à Quinta até ao momento.

Para participar na rubrica, envie as respostas a estas questões para folhasdepapel.d [at] gmail [dot] com.