The third twin (1996), Ken Follett

A cientista Jeannie Ferrami, especialista em gémeos e nos componentes genéticos da agressão, faz uma descoberta espantosa. Recorrendo a um banco de dados do FBI, descobre dois homens que parecem ser gémeos verdadeiros: Steve, estudante de direito, e Dennis, assassino condenado. No entanto, nasceram em dias diferentes, de mães distintas, em hospitais separados por centenas de quilómetros.

Que segredo terá ela desvendado? Poderá confiar no seu chefe e mentor, ou terá de pôr a sua vida nas mãos de Steve Logan, o gémeo por quem se apaixona, apesar de ele estar envolto em intriga e suspeita? Uma coisa é certa: não há nada que faça certas pessoas deixar de conspirar na sombra…

Apreciação

De Ken Follett, tenho uma especial adoração pel’ “Os pilares da terra“, pelo que os seus livros de espionagem me deixaram sempre um pouco desiludida. Foi com alguma hesitação que comecei a ler “O terceiro gémeo”, por recomendação de uma amiga e leitora ávida, mas fiquei agradavelmente surpreendida com o que encontrei.

Pareceu-me que Follett recorreu à fórmula de Dan Brown para criar uma história plena de suspense, com um ritmo alucinante e protagonizada por personagens carismáticas e cativantes, o que resultou numa leitura emocionante. Embora “O terceiro gémeo” não se centre em temas tão controversos quantos os desenvolvidos por Dan Brown, este livro roça o tema sensível da clonagem e afasta-se de um dos géneros literários preferidos pelo autor: a espionagem.

Ao longo do livro, cuja história se passa apenas no período de uma semana, acompanhamos Jeannie a lutar contra a maré e a favor da verdade, depois de descobrir pessoas desconhecidas que partilham o mesmo ADN. A personagem é forte, determinada e apaixonada pelo seu trabalho, o que a orienta numa demanda complexa por entre interesses políticos e monetários (que deveriam ter sido melhor esclarecidos). Infelizmente, a reflexão acerca da clonagem é muito vaga e acabamos por não mergulhar em questões éticas e morais acerca do tema, deixando no leitor uma sede pelo tema. Talvez o livro tivesse sido enriquecido se essa questão tivesse sido aprofundada em discussões sobre os benefícios e desvantagens e, ainda, se o suspense sentido durante todo o livro tivesse sido rematado com uma forte reviravolta. Mesmo assim, aconselho a leitura para umas boas horas de acção.

 

Book description

An electrifying contemporary thriller energized by the chilling possibilities of genetic manipulation, The Third Twin is vintage Follett. In her research on the genetic components of aggression, Jeannie Farrari makes a startling discovery. Using a restricted FBI database, she has located a pair of identical twins who were born, impossibly, to different mothers. After unknowingly stumbling upon evidence of a conspiracy, Jeannie finds that her career–and her life–are in danger.

Opinion

I specially like “The pillars of the earth” by Ken Follett. That’s why his espionage books always have let me a little bit disappointed. I was kind of hesitant when I started reading “The third twin” but I was pleasantly surprised with what I have found.

It seems that Follett used Dan Brown’s formula to create an action thriller with a great pace stared by charismatic and appealing characters, which resulted in an exciting reading. Although “The third twin” isn’t centered in such a controversial theme as the ones selected by Dan Brown, this book is about the dispute of cloning and steps aside of one of the preferred genres by the author: espionage.

Throughout the book, which story is taken in only a week, we follow Jeannie trying to find the truth after she finds out that are unrelated people that share the same DNA. This character is strong, determined and passionate about her work and that is what guides her in a hard path among monetary and political interests. Unfortunately, the reflection about cloning is too vague and we don’t end up discussing ethical and moral issues about the subject, leaving the readers unsatisfied. Maybe the book would have been enriched if this theme would have been intensively discussed about its advantages and disadvantages and also if the suspense felt throughout the book would have been closed with a strong twist. Even so, I advise you to read this book so you can have a few hours of plain action.