Sugestão de fim-de-semana * Weekend suggestion

Angariar e separar livros para enviar para Timor, no âmbito da campanha “Um livro, um sorriso” dos CTT.
Collect and select book to send to Timor within the postoffice project “Um livro, um sorriso”.

Ir ao ballet.
Go to the ballet.

E ler um livro.
And read a book.

The Maias (1888), Eça de Queirós

Trata-se da obra-prima de Eça de Queirós, publicada em 1888, e uma das mais importantes de toda a literatura narrativa portuguesa. Vale principalmente pela linguagem em que está escrita e pela fina ironia com que o autor define os caracteres e apresenta as situações. É um romance realista (e naturalista), onde não faltam o fatalismo, a análise social, as peripécias e a catástrofe próprias do enredo passional.

A obra ocupa-se da história de uma família (Maia) ao longo de três gerações, centrando-se depois na última geração e dando relevo aos amores incestuosos de Carlos da Maia e Maria Eduarda. Mas a história é também um pretexto para o autor fazer uma crítica à situação decadente do país (a nível político e cultural) e à alta burguesia lisboeta oitocentista, por onde perpassa um humor (ora fino, ora satírico) que configura a derrota e o desengano de todas as personagens.

Set in Lisbon at the close of the nineteenth century, “The Maias” is both a coming-of-age novel and a passionate romance. Our hero Carlos Maia, heir to one of the greatest fortunes in Portugal, is rich, handsome, generous and intelligent: he means to do something for his country, something useful, something that will make his beloved grandfather proud. However, Carlos is also a bit of a dilettante. He drifts along, becoming a doctor and pottering about in his laboratory, but spends more and more time riding his splendid horses or visiting the theater, having affairs or reading novels. His best friend and chief partner in crime, Ega, is likewise engaged in a long summertime of witticisms and pleasure. Carlos however is set on a dead reckoning course with fate—with the love of his life and with a terrible, terrible secret…

Newly translated by the acclaimed translator Margaret Jull Costa (translator of José Saramago’s Blindness), New Directions is proud to bring Eça de Queirós’ brilliant prose to life for American readers for the first time.