Natal * Christmas

A árvore está feita, os presentes embrulhados, as receitas prontas, os convites feitos, a decoração pronta, as renas preparadas. Para as Festas que se aproximam, nada melhor do que aproveitar estes dias de descanso e de animação para pôr a leitura em dia e entrar ainda mais no espírito natalício!

The tree’s decorated, the presents are wrapped, the recipes are organized, the decoration’s set, and the reindeers are prepared. Lets enjoy this season to catch up with our books and get even more into the xmas spirit!

A Christmas Carol (a.k.a. Cântico de Natal, 1843), Charles Dickens

cantico_natalScrooge, um homem de negócios avarento e amargo, desumano e insensível, que só se preocupa com o dinheiro e o lucro e que detesta o Natal, recebe a visita de três Espíritos que pretendem fazer dele uma pessoa generosa e solidária. Vais emocionar-te com as aventuras que Scrooge vive na companhia dos fantasmas – tantas aventuras numa só noite! – e descobrir se ele acaba por se modificar, graças aos seus ensinamentos.

This engrossing tale relates Ebenezer Scrooge’s ghostly journeys through Christmases past, present, and future and his ultimate transformation from a harsh and grasping old miser to a charitable and compassionate human being. A perennial classic that has become as much a part of the holiday season as holly, mistletoe, and evergreen wreaths.

As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal (2009), Vasco Graça Moura

mais_belas_historias_natalTextos de / Texts by: Ramalho Ortigão, Eça de Queirós, José Maria de Andrade Ferreira, Dom João da Câmara, Abel Acácio Almeida Botelho, Filaho de Almeida, Brito Camacho, Raul Brandão, Júlio Brandão, Carlos Malheiro Dias, Aquilino Ribeiro, Pina de Morais, Ferreira de Castro, João Araújo Correia, Vitorino Nemésio, José Régio, José Rodrigues Miguéis, Tomaz de Figueiredo, Josão Gaspar Simões, Domingos Monteiro, Miguel Torga, Manuel da Fonseca, Alves Redol, Sophia de Mello Breyner Andresen, Fernando Namora, Jorge de Sena, Maria Judite de Carvalho, Natália Nunes, José Saramgo, Urbano Tavares Ridrigues, Alexandre O’Neill, Maria Ondina Braga, Isabel da Nóbrega, Graça Pina de Morais, Altino do Tojal e José Eduardo Agualusa.

Elka i svad’ba (a.k.a. A árvore de Natal e o casamento; A christmas tree and a wedding, 1848), Fiódor Dostoievski

arvore_natal_casamentoO narrador começa por referir ao leitor que acabou de assistir a um casamento, mas depois recorda uma festa de Natal que considerara mais interessante. A festa destinara-se pretensamente às crianças, mas o seu verdadeiro objectivo fora uma oportunidade para que a família do rico anfitrião falasse de negócios com membros abastados da comunidade. O convidado mais rico era Julian Mastakovich, um rotundo latifundiário. Sem ter ninguém com quem falar, o narrador dedica-se simplesmente à observação dos convivas, interessandose particularmente pelas crianças, que recebem presentes em conformidade com a sua posição social.

Fyodor Mikhailovich Dostoevsky (1821-1881) was a Russian novelist and writer of fiction whose works, including Crime and Punishment (1866) and The Brothers Karamazov (1880), have had a profound and lasting effect on intellectual thought and world literature. His literary output explores human psychology in the troubled political, social and spiritual context of 19th-century Russian society. Considered by many as a founder or precursor of 20th century existentialism, his Notes from Underground (1864), written in the embittered voice of the anonymous “underground man,” was named by Walter Kaufmann as the “best overture for existentialism ever written.” His characters fall into a few distinct categories: humble and self-effacing Christians, self-destructive nihilists, and rebellious intellectuals; also, his characters are driven by ideas rather than by ordinary biological or social imperatives.

A Voz do Coração – Contos de Natal, Rosa Lobato de Faria

voz_coracao_contos_natalEm A Voz do Coração, a magia do Natal transforma-se em histórias para serem lidas por toda a família.
A Voz do Coração apresenta-nos sete contos maravilhosos de uma autora que já conquistou os mais novos. Histórias cheias de ternura, em que a bondade e o bem acabam sempre por triunfar, ajudando a criança a vivenciar a alegria do Natal.

In “A voz do coração”, christmas magic turns into stories that must be read by the whole family. This book compiles 7 wonderful tales written by an author that has already conquered the children. These are tender stories in which kindness and Good end up winning and helping the child to fully experience the Christmas joy.

Crimes de Natal (1995), vários autores / various authors

crimes_natalTextos de / Texts by: Raymund Allen, H. C. Bailey, Agatha Christie, Wilkie Collins, Arthur Conan Doyle, Dick Donovan, Christopher Hallam, Thomas Hardy, Fergus Hume, H. R. F. Keating, Ellis Peters, C. L. Pirkis, Lennox Robinson, David G. Rowlands, Pamela Sewell, Edgar Wallace.

.

.

Hercule Poirot’s Christmas (O Natal de Poirot, 1938), Agatha Christie

o_natal_de_poirotUm policial de Natal. Na noite de consoada, a família Lee está reunida. Subitamente ouve-se um enorme barulho de mobília que se parte. Segue-se um grito de agonia. No andar de cima, Simeon Lee, pai tirano, jaz morto, num lago de sangue, a garganta cortada. Chega o inspector Hercule Poirot para desvendar o caso e encontra uma família cheia de mútuas suspeitas. Para ler nestes dias de frio e chuva, no aconchego da casa.

Christie, Poirot–and murder–are never out of season. A family get-together for the holidays begins with a game, and ends in cold-blooded murder. Who better to solve it than Poirot, who “has solved some puzzling mysteries in his time but never has his mighty brain functioned more brilliantly than in Hercule Poirot’s Christmas”

Natal * Christmas

tema_natal

Deixa-me dizer-te, meu caro, pode bem acontecer que vás através da vida sem saber que debaixo do teu nariz existe um livro no qual a tua vida é descrita em todo o detalhe. Aquilo do qual nunca te deste conta antes, vais relembrando aos poucos, assim que comeces a ler esse livro, e encontras e descobres… alguns livros tu lês e lês e não lhe consegues encontrar qualquer sentido ou lógica, por mais que tentes. São tão “espertos” que não consegues perceber uma palavra daquilo que dizem… Mas esse livro que talvez esteja logo debaixo do teu nariz, tu lês e sentes-te como se tivesses sido tu próprio a escrevê-lo, tal como – como é que hei-de dizer ? – tal como tivesses tomado posse do teu próprio coração – qualquer que este possa ser – e o tivesse virado do avesso de forma que as pessoas o consigam ver, e descrito com todos os detalhes – tal e qual como ele é!
E como isto é simples, meu Deus! Porquê, eu próprio poderia ter escrito este livro! Porquê, de facto, porquê é que eu próprio não escrevi este livro!

Fiódor Dostoiévski