Ebooks

O tema não é recente. Na verdade, são cada vez mais as alternativas aos livros em papel e cada vez mais apelativas. Considero-me vagamente uma pessoa ambientalista não activista, o que significa que há inúmeros passos e tarefas que alterei no meu quotidiano nos últimos anos para reduzir a minha pegada ecológica. Uma das mudanças que fiz foi deixar de comprar livros novos: recorro ao winkingbooks para dar e pedir livros, visito a biblioteca frequentemente, compro livros em feiras e leilões mas, claro, aceito livros novos quando mos oferecem. Adoro as minhas estantes e a minha colecção de livros, mas o espaço também já começa a ser um problema. Conclusão: pela primeira vez, presto a devida atenção a e-readers.

Por mero acaso, há pouco tempo cruzei-me com um Kobo Mini e gostei imenso da experiência. O que me chamou mais a atenção foi o ecrã que, para minha surpresa, não tinha qualquer tipo de brilho ou reflexo. Mais: a imagem da página do livro parecia uma folha de papel, sem tirar nem pôr! Não tive oportunidade de experimentar muito o Kobo, mas estou tentada a optar por um gadget destes em breve. Lembro-me de ter recebido, quando escrevi anteriormente sobre e-readers, opiniões várias sobre estes aparelhos. Considerando a evolução que houve no mercado, podem ajudar-me a esclarecer algumas dúvidas?

Quais as grandes vantagens e desvantagens? Podemos navegar entre capítulos, como nos livros tradicionais? Os preços variam muito? E onde encontrar livros em grande variedade, seja em português ou outra língua? Estão disponíveis quaisquer obras, sejam contemporâneas ou clássicas e em várias edições? Obrigada!🙂

Há inúmeros e-readers por aí fora. Fora o clássico pdf que pode ser lido em pc, também há plataformas para iPad, para além do Kobo, Kindle, Nook e Sony. Quanta indecisão!