Fugir de um livro

julgar_livros_capa_maus_livrosSempre ouvimos dizer para não julgarmos livros pela capa, mas eu acredito que a capa reflecte o género literário em que determinado livro se insere (talvez isto se aplique a 90% – 99% das vezes?). Depois de falar sobre livros com títulos estranhos e de capas suscitam imediatamente a curiosidade (podem ver tudo aqui) regresso com o tema, desta vez sobre o mote:

O que nos faz NÃO escolher ou sequer folhear um livro?

A ideia surgiu d’A Sombra dos Livros, que por sua vez se inspirou na rubrica Top Ten Tuesday, onde Alice partilha alguns dos seus desamores literários. Quanto a mim, é muito simples: eu não gosto de romances cor-de-rosa, por isso quando vejo livros com casais de mão dada, capas brilhantes, títulos lamechas do género “viveram felizes para sempre mas até lá passaram por inúmeros obstáculos” e brindes acoplados aos livros, afasto-me discretamente sem olhar duas vezes. Também escapo da órbita de livros que vendem o sucesso em poucos passos, nomeadamente no que respeita a dietas, exercício e dinheiro, porque acredito que é preciso muito trabalho para ser bem sucedido em qualquer um destes temas, pelo que este tipo de literatura me convence cada vez mais que cada página é um reforço na estratégia de Marketing dos respectivos autores ou editoras. Fadas e seres estranhos? Também não, obrigada!

O importante neste tipo de discussão é ter presente que o importante é ler, independentemente do tipo de literatura, e que felizmente há autores e obras para todos os gostos. Quanto a mim, dirijo-me às minhas secções preferidas e esqueço o que me rodeia enquanto escolho o próximo livro a fazer-me companhia.