Experiência Kobo

kobo_mao

Recentemente não resisti e acabei por aderir à tendência dos e-readers, tendo optado por um Kobo Mini para me estrear na leitura electrónica. O balanço é positivo: a tecnologia Pearl E ink proporciona uma óptima experiência de leitura, visto que  o ecrã simula na perfeição a impressão em papel. Com menus intuitos, ligação wi-fi e uma óptima portabilidade, o KM tem-se revelado uma boa surpresa.

Comprei o “Let the great world spin”, de Colum McCann, como primeiro livro digital do meu Kobo, não contando com os que retirei do projecto Gutenburg. Em linhas gerais, gosto da experiência e conto continuar a utilizar este tablet, embora possua algumas características menos positivas:

  • As páginas são muito pequenas, pelo que se lê muito rapidamente o texto e parece que estamos sempre a virar páginas
  • Também relacionado com as páginas, acabamos por não conseguir ter a real percepção do quanto já lemos e do quanto falta por ler (mesmo que tenhamos a indicação do número de páginas no rodapé)
  • O ecrã é muito suave e agradável ao toque, mas não possui aquela magia a que nos habituamos com livros em papel
  • Os livros recentes neste formato são caros, quase do preço dos livros ‘tradicionais’. Compensará, portanto, comprar em e-pub?
  • Não sei se será distracção minha (ainda estou em fase de experimentação das várias funcionalidades), mas não consigo carregar livros da Wook. Recebi um livro gratuito da Wook e, para além de ter tido dificuldades em o carregar para o pc, não o consegui carregar no KM. Será que só consigo mesmo aceder a livros da minha biblioteca Fnac?

As vantagens, mesmo assim, são muitas e penso que acabarão por superar as dificuldades iniciais:

  • O programa Calibre é muito útil para organizar e carregar livros do projecto Gutenberg no Kobo
  • Mesmo que os preços não sejam muito competitivos, a verdade é que este tipo de leitores digitais são muito mais amigos do ambiente
  • Também não tenho dúvidas que as minhas prateleiras agradecem o facto de não estarem (ainda mais) sobrecarregadas, visto que esta versão Kobo tem capacidade para até 1000 e-livros
  • A bateria dura muito tempo, muito mesmo! Com utilização normal, pode durar até um mês. Se não for usado com regularidade, pode durar até dois meses sem precisar de ser carregada
  • A funcionalidade para criação de estatísticas é muito útil, visto que podemos aceder ao tempo médio de leitura, número de páginas lidas, etc, o que nos cria um perfil de leitor com o passar do tempo.

O balanço é francamente positivo e espero que, a médio / longo prazo, este formato de livros comece a ser-me mais apetecível do que os livros em papel. Será que isso é possível? Veremos!