Sugestão de fim-de-semana * Weekend suggestion

Deliciar-se com umas belas castanhas assadas.
Enjoy some delicious roasted chestnuts.

Retomar as séries que iniciam novas temporadas.
Restart watching your favorite tv series that recently launched new seasons.

E ler um livro.
And read a book.

jogador

Игрок, Igrok (a.k.a. The Gambler; O Jogador; 1866), Fiódor Dostoiévski

«O Jogador» foi publicado em 1866, ano em que saiu também «Crime e Castigo», volume que inaugurou esta colecção das obras de Fiódor Dostoiévski, sendo também a primeira a ser traduzida directamente do russo. Passado na Alemanha, num ambiente de casinos, Aleksei Ivánovitch destaca-se como figura principal – um jovem com um forte sentido crítico em relação ao mundo que o rodeia, mas carente de objectivos, que descobre em si a paixão compulsiva pelo jogo. Dostoiévski expõe as personagens nas suas motivações mais íntimas, com humor e ironia, criando uma obra simultaneamente viva e profunda, na melhor tradição dostoievskiana. O fascínio torturado dos jogadores adequa-se genialmente ao tratamento de temas caros ao autor, e ainda o descontrolo e o desespero, as paixões que raiam a loucura e a solidão sem perspectivas, além de uma análise social impiedosa, por vezes satírica. O Jogador, uma das obras mais lidas deste autor, tem muito da experiência do próprio Fiódor Dostoiévski, que também foi um jogador compulsivo durante vários anos.

The award-winning translators Richard Pevear and Larissa Volokhonsky have given us the definitive version of Fyodor Dostoevsky’s strikingly original short novels, The Double and The Gambler.The Double is a surprisingly modern hallucinatory nightmare–foreshadowing Kafka and Sartre–in which a minor official named Goliadkin becomes aware of a mysterious doppelganger, a man who has his name and his face and who gradually and relentlessly begins to displace him with his friends and colleagues. The Gambler is a stunning psychological portrait of a young man’s exhilarating and destructive addiction to gambling, a compulsion that Dostoevsky–who once gambled away his young wife’s wedding ring–knew intimately from his own experience. In chronicling the disastrous love affairs and gambling adventures of Alexei Ivanovich, Dostoevsky explores the irresistible temptation to look into the abyss of ultimate risk that he believed was an essential part of the Russian national character.