Memorial do Convento no programa de Português

Memorial-do-Convento

O Ministério da Educação recuou na retirada da obra do escritor José Saramago “Memorial do Convento” do novo programa de Português do secundário, mas durante dois anos será obrigatoriamente substituída por “O Ano da Morte de Ricardo Reis”.

De acordo com o programa de Português do ensino secundário, homologado esta segunda-feira, os alunos do 12.º ano vão poder optar entre estudar o “Memorial do Convento” ou “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, ambas obras de José Saramago. A excepção acontece nos anos lectivos de 2017-2018 e 2018-2019, em que “O Ano da Morte de Ricardo Reis” se impõe a “Memorial do Convento”, obra icónica do único Prémio Nobel da Literatura português e que integrava os currículos do secundário há largos anos.

A justificação para a imposição de dois anos é dada numa nota de rodapé do próprio programa, na qual se pode ler que, “com esta indicação, pretende-se fomentar o conhecimento desta obra, tornando-a tão divulgada junto de professores e alunos quanto ‘Memorial do Convento’, permitindo que a opção por uma das obras, no futuro, seja mais sustentada”. A proposta para o novo programa de Português, que esteve em consulta pública no final de 2013, previa a substituição deste texto do Nobel da Literatura por outros dois romances da sua autoria: “O Ano da Morte de Ricardo Reis” e “História do Cerco de Lisboa”. Esta opção foi “veementemente reprovada” pela Associação de Professores de Português (APP).

Notícia publicada no Diário de Notícias a 21.01.2014