Dicas para o Facebook

dicas_facebook_blogosfera

Penso que a grande maioria dos blogs tem perfil na página do Facebook. Se isso acontece, provavelmente já repararam que apenas uma pequena percentagem dos vossos seguidores recebe a vossa informação.

Se este valor rondava os 16% para utilizadores particulares e empresariais no final de 2014, no virar do ano o Facebook fez novamente uma revisão ao Edge Rank: este é o algoritmo que define que informação surge no feed de que utilizadores. Na verdade, é simples: quanto mais a pessoa interage com uma página, maior interesse demonstra em receber informação da mesma.

Esta revisão acontece por vários motivos, sendo de ressalvar dois: 1. Imaginem que têm 100 amigos e que seguem 500 páginas. Agora imaginem que recebem todos os posts de todos os amigos e de todas estas páginas. Seria impossível acompanhar toda esta informação, certo? 2. Por outro lado, o Facebook tem enormes interesses comerciais. Uma vez estabelecidas as empresas nesta rede social e com uma base de utilizadores bastante relevante, para o Facebook é importante que haja investimento por parte das empresas / marcas / projectos para elevarem a sua visibilidade. O resultado é este: o que publicamos não é visto por todos os nossos utilizadores. Sendo assim, o truque passa por dinamizar os perfis tanto quanto possível, de forma a elevar a interacção com os utilizadores.

Como melhorar o alcance dos posts?

Aplicado a blogs de literatura, deixo-vos algumas ideias do que podem fazer para contornar este obstáculo criado pelo Facebook:

  • Publicação de até dois posts por dia quando possível;
  • Edição de textos com informação entre 100 e 250 caracteres;
  • Publicação nas horas de maior tráfego (podem aceder a esta informação nas estatísticas do vosso perfil);
  • Criação de maior número de publicações que suscite qualquer forma de interacção com as pessoas (ex.: texto com uma pergunta sobre os livros preferidos ou com um link onde as pessoas possam clicar para conhecerem mais sobre determinado assunto);
  • Realização de um passatempo para oferta de um livro;
  • Ligação a outros perfis de blogs literários no Facebook através do ‘gosto’ ou do “@”;
  • Interacção com essas páginas que partilham os vossos interesses, comentando, gostando ou partilhando os seus conteúdos;
  • Investimento pontual em campanhas de FacebookAds.

Em todo o caso, nunca é demais relembrar: o blog deverá ser a plataforma central para partilha de informação, pelo que as ademais ferramentas deverão contribuir para o alargamento de canais de comunicação: a recepção de posts por email, opção de ‘seguir’ blogs nas várias plataformas (blogger, wordpress, blogssapo), rss, Facebook, Twitter e afins são canais por onde a informação passa para chegar a quem a chamou.

Para terminar, é de frisar que as estatísticas hoje em dia não são o que eram há 10 anos: se há 10 anos tínhamos contabilizadas centenas de visitas, hoje esse número pode ser bastante inferior. Isto acontece porque, como refiro atrás, há vários canais por onde as pessoas podem receber informação, pelo que a visita ao site propriamente dita já não é necessária para se ser um seguidor fiel.

Boas leituras… e boas publicações!