Livros interactivos

A experiência de ler e viver um livro nunca mais vai ser a mesma. O Trip Book é um “ebook” que muda o local da ação consoante a cidade onde o leitor estiver

trip_book_livros_interactivos

Quando alguém lê um livro tende a criar mentalmente a imagem da rua ou da cidade que é descrita. Isso explica que os filmes feitos a partir desses livros acabem por ser, não raras vezes, uma desilusão. Agora, há uma forma de não deixar a imaginação por mãos alheias: com um livro que pode ler enquanto está na rua que é descrita.

A ideia inovadora foi criada pela FCB Brasil para o Smiles, o programa de milhas da Gol Linhas Aéreas, e chama-se Trip Book. Graças a um equipamento exclusivo com tecnologia e-paper, o ebook identifica onde está o leitor através da localização geográfica. Desta forma, a história do livro vai sempre passar-se na cidade onde o leitor estiver — ao mudar de cidade, o enredo muda acompanhando as experiências das personagens nesses lugares. De momento só estão disponíveis seis cidades: Lisboa, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Roma, Paris e Buenos Aires. Ou seja, se viajar para Londres, não há como as personagens se reencontrarem em frente ao Big Ben.

 A história é da autoria do escritor brasileiro Marcelo Rubens Paiva, e conta as aventuras da viagem de um casal, Theo e Maria Manoela, na faixa dos 40 anos e a viver em São Paulo, que decide fazer uma pausa na rotina do quotidiano e viajar para a cidade onde passou a primeira lua-de-mel, numa tentativa de reavivar a paixão. A partir deste mote, o destino das personagens vai mudar de acordo com a cidade onde o leitor estiver. A história e as personagens não mudam, o que muda são as referências aos lugares onde o enredo se passa, como ruas, museus, pontos turísticos, comida, restaurantes, lojas, parques, costumes, hotéis e até a língua.

Se está a pensar viajar para uma destas cidades em breve ou se quiser saber o que é realçado sobre a cidade de Lisboa no enredo, caso esteja na capital, só tem de descarregar o Trip Book Smiles de forma gratuita, tanto para Android como iOS.

Informação publicada no Observador a 08.05.2015