Throwback Thursday * Quino

Mafalda, a menina que questiona o mundo

A obra mais famosa de Quino é Mafalda, publicada entre os anos 1964 e 1973. Editada em tiras nos jornais, Mafalda questionava todos os problemas políticos e científicos que a afligiam. Desta forma, reflectia-se o conflito que as pessoas deste período enfrentavam, sobretudo com a progressiva mudança dos costumes e a já incipiente introdução da tecnologia no quotidiano.

Apesar de interrompida no começo dos anos ‘70, Mafalda possui uma legião de fãs nos dias de hoje, e o trabalho de Quino ainda tem o merecido reconhecimento internacional, como um dos maiores cartoonistas do mundo.

A minha Mafalda

A Mafalda era uma das minhas companhias preferidas na infância e no início da juventude. Sentia que, sempre que relia um dos seus livros, descobria uma mensagem subliminar ou escondida e que, de uma forma ou de outra, não estava presente na leitura anterior. Ainda hoje, ao reler a Mafalda, encontro novas mensagens. Quino escreveu Mafalda para crianças e adultos e fê-lo de forma sublime.

Foi com a Mafalda que aprendi qual a dinâmica de outros grupos de amigos; como a política está tão presente no dia-a-dia das crianças, ainda que de forma quase imperceptível; como a paixão pela música ou outra arte, e o ódio pela sopa (ou por qualquer outro alimento ou hábito alimentar) é transversal a todas as crianças; como os pais se esforçam para criar lares felizes; e como a diferença geracional pode criar diálogos absurdos, em que ambas as partes pensam entender-se quando, na realidade, têm perspectivas e realidades contrastantes e, muitas vezes, contraditórias.

Com o passar do tempo, acabei por perder rasto aos meus cinco volumes de Mafalda mas, recentemente, na Feira do Livro acabei por encontrar uma edição maravilhosa com notas sobre o autor, sobre a personagem e com todas as tiras da Mafalda alguma vez criadas.

mafalda_edicao_comemorativa

Pequena biografia de Quino

Nascido a 17 de julho de 1932 na província de Mendoza, Argentina, Joaquín Salvador Lavado, mais conhecido como Quino, é um humorista gráfico e criador argentino de histórias de quadradinhos. Filho de imigrantes espanhóis, desde cedo é chamado pelos familiares pelo apelido com que é conhecido – Quino – para o diferenciar do tio homónimo, desenhador, com quem aos 3 anos aprende o gosto pela arte. Em 1945 perde a mãe e em 1948 o pai. No ano seguinte abandona a Faculdade de Belas Artes.

Mergulho nos quadradinhos

Durante vários anos, tenta vender os seus trabalhos nos jornais de Buenos Aires, mas sem sucesso. Em 1954, vê publicado seu primeiro desenho, mas a contribuição regular para os jornais deu-se apenas três anos depois. Apenas em 1963 lança o seu primeiro livro humorístico “Mundo Quino” e, em 1964, nasce sua personagem mais conhecida, Mafalda.

Quando, em 1970, Mafalda é publicada em Espanha e Portugal, Quino começa a deixar as fronteiras da Argentina, mas não alcança sucesso na Alemanha e em França, onde Mafalda foi publicada em 1973. Em 1976 Quino muda-se para Milão, permitindo que os seus trabalhos vão alcançando reconhecimento e divulgação.

Querem partilhar os vossos tesourinhos literários da infância? 🙂

Este post foi uma adaptação de um post deste blog publicado a 23/06/2008 para ser adaptado à recente rubrica Throwback Thursday.

Advertisements